Thu, 19 de May de 2022

Marconi mantm discrio sobre encontro com Lula

Por rejeio de base do PSDB ao PT e proximidade com Doria, tucano evita comentar reunio com ex-presidente, quando apararam arestas sobre divergncias do passado

24/01/2022 23h54
O Popular

A resistência de parte dos tucanos em Goiás ao PT e a relação com o governador de São Paulo, João Doria, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, estão por trás da discrição que o ex-governador e presidente do PSDB goiano Marconi Perillo mantém sobre o encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no ano passado. Eles conversaram no escritório de um advogado em São Paulo em novembro e a reunião só veio à tona agora, depois que o petista intensificou encontros com tucanos.

Na quinta-feira, o ex-senador Aloysio Nunes Ferreira esteve com Lula e revelou no dia seguinte à CNN, que Marconi também havia encontrado o ex-presidente no ano passado.

Desde que se reuniu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em maio do ano passado, o ex-presidente tem conversado com lideranças do PSDB defendendo uma frente antibolsonarista e em defesa da democracia. Aloysio teve a primeira conversa em setembro e coube a ele articular o encontro com Marconi dois meses mais tarde.

Segundo relatos de lideranças dos dois partidos, a conversa foi cordial, de “superação das divergências”, concordância sobre retrocessos do País e a defesa de um futuro governo com união para superar as dificuldades. Aloysio relatou que a conversa não é sobre aliança eleitoral, algo considerado improvável no momento, mas de “espírito colaborativo”.

Lula estaria pensando já em base de apoio a partir de possível vitória nas eleições de outubro. Disse, segundo Aloysio, que precisará de “um mutirão para governar”. O Globo informou nesta segunda-feira (24) que ele voltará a procurar FHC. Aliados do ex-governador de Goiás também afirmam que eles devem voltar a conversar em breve.

Marconi e Lula têm histórico de conflitos desde 2005, quando o tucano divulgou que havia avisado o então presidente sobre o esquema do mensalão. Em 2007, quando Marconi estava no Senado e era vice-presidente da Casa, eles tiveram nova divergência após conversa, na casa do então governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, sobre a votação da prorrogação da CPMF.

No escândalo do caso Cachoeira, em 2012, o tucano atribuiu a ofensiva contra seu nome a “vingança” de Lula. Em 2013, o então governador de Goiás chamou o ex-presidente de “maior canalha do País”.

Mais Acessadas da Semana
Mais Acessadas
TOP 10
Confira as 10 mais tocadas dessa semana
udios
Jornal do Meio Dia - 13.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Vice-presidente do MDB, Manoel Feitosa, visita Mineiros nesta quinta-feira
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Unifimes realiza 1 Simpsio Silagem de Milho Alta Qualidade em Mineiros
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 11.05.2022
SMT orienta motoristas sobre embarque e desembarque de crianas na Escola Municipal Maria Eduarda Condinho Filgueiras
Jornal do Meio Dia - 11.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 10.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 09.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 07.05.2022
Governador Ronaldo Caiado participa de solenidade no Corpo de Bombeiros de Mineiros
Jornal do Meio Dia - 07.05.2022
Obras de pavimentao de trechos da GO-306 e GO-341 comeam hoje em Mineiros
Jornal do Meio Dia - 05.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 03.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 02.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 29.04.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 28.04.2022
Alexandre Garcia
Anterior Proximo