Thu, 19 de May de 2022

Bolsonaro deve vetar R$ 3,1 bilhes em despesas aprovadas pelo Congresso

Veto visa recompor gastos com pessoal subestimados por parlamentares; valor bem menor que os R$ 9 bi necessrios

22/01/2022 22h11
O Popular

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deve vetar R$ 3,1 bilhões em despesas aprovadas pelo Congresso Nacional no Orçamento de 2022. A medida é necessária para recompor gastos com pessoal que foram subestimados pelos parlamentares.

O valor é bem menor do que a necessidade de R$ 9 bilhões apontada pelo Ministério da Economia. Mas o custo político de um corte mais agressivo nos gastos acabou pesando na decisão. O prazo para a sanção do Orçamento terminou nesta sexta-feira (21).

A previsão é que o ato de sanção, com os vetos, seja publicado na edição do Diário Oficial de segunda-feira (24).

Caso optasse por atender integralmente ao pedido da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro precisaria sacrificar recursos de outras pastas ou emendas de relator – instrumento usado por congressistas aliados para direcionar verbas a seus redutos eleitorais.

A decisão política do governo, porém, foi a de blindar as emendas de relator, que somam R$ 16,5 bilhões. A opção também é evitar um corte mais significativo agora, recompondo apenas o valor que seria de fato obrigatório, como é o caso das despesas com pessoal.

Segundo fontes do governo ouvidas pela Folha, os R$ 3,1 bilhões sairão de despesas discricionárias (que incluem custeio e investimentos) e das chamadas emendas de comissão, outro instrumento criado pelo Congresso para distribuir recursos.

Dos R$ 3,6 bilhões destinados pelo Congresso às emendas de comissão, no entanto, R$ 1,7 bilhão precisa ser preservado, porque corresponde à reserva para conceder reajustes a servidores públicos. Dessa forma, o espaço para vetos nessa dotação é de R$ 1,9 bilhão.

Nas discricionárias, a proposta dos técnicos é tirar recursos de pastas que tiveram ganhos de verba durante a tramitação do Orçamento. Isso inclui os ministérios da Cidadania, Previdência e Trabalho, Infraestrutura, e Ciência e Tecnologia.

Fontes informaram à reportagem, porém, que é pouco provável haver cortes na Infraestrutura porque os investimentos públicos previstos para 2022 já estão muito deprimidos. A pasta é comandada por Tarcísio de Freitas, que deve concorrer ao governo do estado de São Paulo com apoio do presidente.

A decisão sobre os cortes no Orçamento de 2022 foi acompanhada de perto pela Casa Civil, chefiada por Ciro Nogueira (PP), um dos principais expoentes do centrão.
Além de integrar a JEO (Junta de Execução Orçamentária), fórum de definições de governo sobre o Orçamento, a Casa Civil também vai agora ter o poder da caneta sobre quaisquer mudanças na execução de despesas. Um decreto de Bolsonaro estipulou que as movimentações feitas pela Economia precisam ter aval prévio da pasta de Nogueira, como revelou a Folha.

Técnicos da área econômica afirmam que o protagonismo na definição sobre os vetos ao Orçamento de 2022 tem sido todo da Casa Civil.
A Economia havia pedido um corte maior porque, além das despesas com pessoal, precisava recompor R$ 777,9 milhões do fundo eleitoral e outros R$ 5 bilhões nos gastos de custeio da própria pasta.

O ministério chefiado por Guedes sofreu um corte de 50% em suas verbas, o que foi visto como retaliação dos congressistas, com quem o chefe da equipe econômica tem uma relação conturbada.

Como mostrou a Folha, o governo desistiu de fazer agora o corte necessário para recompor o fundão eleitoral para evitar aperto nas demais pastas e também para afastar a digital de Bolsonaro do aumento de recursos para as campanhas - algo criticado por sua base mais ideológica.

Pela LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), o valor do fundo eleitoral precisa ser de R$ 5,7 bilhões, mas o Orçamento prevê apenas R$ 4,9 bilhões.

A expectativa é fazer a recomposição desse valor no futuro, conforme a execução do Orçamento evidenciar espaços disponíveis em outras áreas.

Mais Acessadas da Semana
Mais Acessadas
TOP 10
Confira as 10 mais tocadas dessa semana
udios
Jornal do Meio Dia - 13.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Vice-presidente do MDB, Manoel Feitosa, visita Mineiros nesta quinta-feira
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Unifimes realiza 1 Simpsio Silagem de Milho Alta Qualidade em Mineiros
Jornal do Meio Dia - 12.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 11.05.2022
SMT orienta motoristas sobre embarque e desembarque de crianas na Escola Municipal Maria Eduarda Condinho Filgueiras
Jornal do Meio Dia - 11.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 10.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 09.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 07.05.2022
Governador Ronaldo Caiado participa de solenidade no Corpo de Bombeiros de Mineiros
Jornal do Meio Dia - 07.05.2022
Obras de pavimentao de trechos da GO-306 e GO-341 comeam hoje em Mineiros
Jornal do Meio Dia - 05.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 03.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 02.05.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 29.04.2022
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 28.04.2022
Alexandre Garcia
Anterior Proximo